Minha experiência pessoal – as Suas dietas

Como você pode ver no site, eu sei algo sobre dietas.

Eu tentei muitas e tenho visto os efeitos de outras tantas meus 26 anos. Infelizmente, como eu sempre digo, a genética das mulheres é algo do mal e nos faz engordar com facilidade.

Por isso, somos os que sempre aparecer em anúncios de dietas e as que sofrem com elas. Sobretudo quando, após meses comendo a peito, nos aparece o famoso efeito rebote.

A boa notícia é que hoje te vou contar uma história que tem um pouco de ficção e que vai fazer você esquecer as dietas: a minha história recente com a que eu consegui perder peso comendo mais do que antes.

E, o mais importante, sem dietas nem histórias raras.

Sim, de verdade, como muito mais do que antes e não sigo uma dieta com alimentos marcados em vermelho ao 100%. Graças a certos hábitos que tenho agora e que eu aprendi, só que meu corpo precisa.

Mas isso eu contarei mais adiante. Vamos começar pelo princípio.

Por que me harté das dietas

As dietas de que falo no blog e que eu tentei não estão mal, eu tenho trabalhado pontualmente e, dependendo dos casos podem ser boas soluções. Mas o problema é que, mais cedo ou mais tarde, você acaba cansando delas.

Os motivos costumam ser alguns como ter que tem receio de ligar para refeições demasiado restritivas, ser dietas demasiado agressivas ou resultar em diferentes problemas de saúde.

Eu tenho 26 anos e meus antecedentes são os piores, se quiser emagrecer:

  • Sempre fui gordinho: eu nunca estive fina nem tive uma constituição delgada, essa sorte não esteve do meu lado.
  • Eu já passei por uma gravidez: gravidez muda o seu físico de cima para baixo e te deixa com muito pouca vontade de fazer exercício e comer bem depois. Muitos desejos e pouca vontade de fazer nada.
  • Estou muito cansada de dietas: há muitos anos tenho submetido a meu corpo a diferentes dietas e, a verdade, estou cansado delas.

Em suma: com 26 anos, muitos quilos a mais e muito pouca vontade de entrar em uma dieta e me sentia como se o mundo se me caísse em cima.

E é que, após fazer outra dieta que achei que seguiria a vida toda, apareceu o famoso efeito rebote e passei de 55 a 68 quilos em pouco tempo. Meço 1.60, por que eu tinha ido de novo cerca de 14 quilos acima de meu peso.

Um desastre absoluto.

No seu dia havia procurado por Internet e acreditei ter encontrado os diferentes tipos de dietas que funcionam, mas nada. Já não sabia muito bem onde procurar…

Mas eu tive sorte.

O dia que o Facebook me alegrou a vida

Estava navegando pelo Facebook (comiéndome uma barra energética, tudo dito) e, depois de um bom tempo me deparei com uma publicação que tinha compartilhado uma amiga.

Não me chamou muito a atenção, mas a verdade é que não tinha nada melhor que fazer assim que cliquei e me pus a ler.

O artigo em questão falava de que o pão era um dos piores alimentos que podíamos tomar e era um tal de Marcos Vázquez de um blog chamadoFitness Revolucionário.

Fiquei xadrez. Não pelo fato de que dissesse que o pão era mau, mas porque depois que eu comecei a ler um monte de artigos que me deixaram literalmente LOUCA.

Marcos falava de um método mais tradicional de alimentação e de que tinha que ir para trás para recuperar a saúde.

Eu era viciado, literalmente, o blog lendo naquela tarde bastantes artigos. E então, eu encontrei o que mudaria minha alimentação para sempre.

O Plano Revolucionário: como eu esqueci-me de por fim as dietas e comecei a controlar minha alimentação

Em um dos artigos Marcos fazia referência a que, se você queria saber mais sobre o tema da alimentação, como ela um olhar para O Plano Revolucionário.

Entrei e descobri que era um livro que explicava como comer bem, sem estar a dieta, e limpar seu corpo em 28 dias.

Sim, eu sei que parece o de sempre, mas eu disse: o que você tem que perder Marina?

Comprei o ebook por 19,95€ e eu comecei a lê-lo em PDF aí mesmo no seu computador. Como já comentado, tinha bastante tempo livre naquele momento, e já tinha me viciado em ler os artigos, assim que eu continuei com o livro.

Fazendo uma pequena metáfora de comida direi o seguinte: eu bebi o livro em dois dias!

Este livro para mim foi uma descoberta total. Me dizia coisas que nunca tinha pensado, mas que, quando pensava me faziam dizer tem toda a razão.

Não te vou explicar por completo, mas simplesmente te direi que nele Marcos fala de estas coisas:

  • Filosofia da alimentação: explica por que você deve comer alimentos “de toda a vida” e como a comida afeta seu estômago, hormônios e o cérebro. É a teoria para compreender a prática que vem depois.
  • Alimentos saudáveis e como prepará-los: nesta parte fala de quais alimentos são os mais adequados para o seu corpo e como prepará-los para tirar o máximo partido. Não fala tanto de calorias, nem detalhes talvez lhe, mas de coisas simples, fáceis de entender.
  • Planos de alimentação: um plano de refeições de 28 dias para começar com o pé direito e um plano muito generalista para que continue durante o resto de sua vida, se quiser.

Mas já sabemos que da teoria à prática há um teto, certo?

Por isso, depois de beber até o livro me pus mãos à obra: era a hora de descobrir se esse Plano Revolucionário podia tirar os 14 quilos a mais.

Meus primeiros 28 dias com o Plano Revolucionário

Como eu disse, a teoria está muito bom, mas queria ver se tudo isso que parecia tão bem no livro ia ser tão bom na realidade.

Esperava não ter perdido tempo lendo as 400 páginas que tem… e assim foi para a minha sorte.

Este pequeno plano punha diferentes refeições para os primeiros 28 dias divididos em pequenos-almoços, almoços e jantares. Isso já me chocava, pois passar do tradicional “5 refeições por dia” para 3 me parecia estranho.

Mas tinha que tentar.

Além disso, também tive que limpar quase por completo a minha despensa. Eu eliminei todos os produtos processados, todos os que tinham pilhas de açúcares, e todos os que se anunciavam como light e derivados raros.

Tudo o que não fosse da natureza, não passava o filtro.

Após fazer minha compra mensal e semanal (que também vem indicada no livro), eu pus mãos à obra para cozinhar.

Surpreendeu-Me que, uma vez cozido o meu primeiro pequeno-almoço, este parece ser mais uma refeição do que um próprio pequeno-almoço. Era muita comida, isso ia me fazer emagrecer?

E assim continuei durante uma semana. A verdade é que pensava que comia muito, mas me dei conta de que, dizendo adeus aos cereais, pão e outros produtos e até mesmo dando-me caprichos com chocolate preto minha cintura iria diminuir.

E assim foi.

2 semanas depois pesava 4 quilos a menos. E eu fiquei LOUCA outra vez: se eu estava comendo mais, como poderia pesar menos?

A chave está em que comia comida de verdade. Nada de lixo processada. E ainda por cima, estava gastando mais ou menos o mesmo cada vez que ia comprar.

Quem te diga que comer de forma saudável é caro, você é um mentiroso!

Total, quando eu terminei o plano de 28 dias caiu 7 quilos de peso, sem restrições de comida, indo comer alguma vez pizza e ainda por cima, me sentia melhor.

Quando eu digo que é melhor é que tinha mais vitalidade e alguns problemas, que tinha tido de sempre (digestões pesadas ou gases, por exemplo) iam desaparecendo.

Me ilusioné muito, pois acreditava ter encontrado a solução para os meus malditos problemas.

E assim foi, porque hoje em dia já tenho 3 meses seguindo o plano e peso 50 quilos, manteniéndome e comendo mais do que antes.

Simplesmente aprendi a escolher os alimentos e cozinhá-las.

Em vez de tirar uma barra energética, acho minha própria barra energética!

Em vez de beber um batido de Puleva, eu creio meu shake de morango e banana com meu liquidificador!

E etc, etc, etc.

Uma história com final feliz

Agora mesmo estou escrevendo isso enquanto no meu forno é feito um frango na mostarda com batatas no sal que estão para morrer.

Se esse é o tipo de comida que você pretende comer enquanto seu corpo agradece-lhe, minha história pode ser a sua.

Passa das dietas, de tudo o que diz a indústria de alimentos e, como dissemos, os que comprei o livro, junte-se ao Plano Revolucionário!

Agora fora de brincadeiras, só te digo uma coisa: experimente.

Para mim, mudou a minha vida e agora eu sou mais feliz do que uma perdiz, comendo de tudo. Até a minha mãe disse-me que cocino melhor do que nunca.

CLIQUE AQUI PARA SABER MAIS SOBRE O PLANO REVOLUCIONÁRIO

Antes de terminar de contar a minha história, eu quero agradecer a Marcos Vázquez ter escrito este livro. Duvido que você leia o que estou escrevendo, mas graças a ele hoje vos escrevo isso e eu sou um pouco (não muito!) mais feliz.

Se você tiver qualquer dúvida sobre o livro ou quiser me perguntar sobre como ele está indo com esta dieta, você só tem que me deixar um comentário aqui em baixo. Prometo responder o quanto possa 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *